quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Acerca das capas académicas...

Quando cheguei à faculdade delirava de cada vez que um doutor ou uma doutora aparecia com a sua caderneta de cromos. Achava lindo e achava ainda mais fantástico que através da sua caderneta eu pudesse conhecer um pouco mais acerca da vida daquela pessoa: curso,  residência, signo, composição familiar, preferências clubísticas e, com alguma sorte, estado civil (nem era preciso facebook nem nada para saber estas coisas todas!). 5 anos volvidos se há coisa que aprendi é que não gosto de ver num traje uma caderneta de cromos. Não gosto e pronto. Uma pessoa deixa de ter um traje e uma capa para ter um traje e uma árvore de Natal ambulante. Tenho amigos que cultivam o arvoredo deles e até os ajudo a cultivá-lo, mas os meus emblemas estão todos guardados, dentro da pasta: só para eu ver. Sou capa negra, de coração.

atuleirus.weblog.com.pt

19 comentários:

  1. tb sou capa negra :D

    para já não falar que tradicionalmente, em Coimbra, a capa é negra.

    ResponderEliminar
  2. Traje é traje, traje é negro!

    Só aceito os tunos com os emblemas todos na capa, para mostrarem onde andaram. Isso gosto!

    Kiss kiss

    ResponderEliminar
  3. A mim aconteceu-me exactamente o mesmo. Quando era caloira adorava a capa com os emblemas porque assim conhecia um bocadinho mais os meus "doutores". Colecionei bastantes emblemas e todos eles ainda estão bem guardados à espera de serem cosidos. Mas sinceramente acho que vao morrer a espera porque não faço tençoes de os coser, exactamente porque não quero parecer uma caderneta de cromos ambulante.

    ResponderEliminar
  4. :) Nem quando acabares o curso? No dia que deixares a vida académica?
    Eu quando lá chegar e tiver a oportunidade de vestir o traje, até vou chorar pah! xD

    ResponderEliminar
  5. Eu gostaria de colocar alguns emblemas que estivessem apenas associados ao curso.
    O logótipo do técnico e da faculdade de medicina, e muitos outros que dizem "biomedicina é o futuro".
    Coisas assim. ;)

    ResponderEliminar
  6. E somos duas. Gosto dos emblemas mas não na minha capa. Está negra como nova.
    *

    ResponderEliminar
  7. A minha não está negra nem demasiado florida mas gosto bem dela assim :) é a MINHA capa e a minha cara * beijinho

    ResponderEliminar
  8. eu sempre achei piada aos emblemas, mas acho que também não os vou andar a mostrar na capa.


    (pela tua disponibilidade e paciência para me reponderes a tudo e mais alguma coisa e pelas doses de fofura que me deixas lá no estaminé, estava capaz de te convidar para minha madrinha honorária... pena não estares tão presente na faculdade, senão acredita que te escolhia também. espero um dia ter oportunidade de te conhecer pessoalmente para te agradecer como deve ser)

    ResponderEliminar
  9. Mary Jane, essa moda dos cromos na capa deve ser nova. Quando a usei, era preta, só preta.
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  10. sou também uma capa negra de coimbra com todo o orgulho!

    ResponderEliminar
  11. Nunca pensei muito nisso dos emblemas na capa.

    Até posso vir a meter alguns, mas não quero encher a capa, nada disso. Não gosto de ver.

    E adoro o facto do traje da minha universidade ser bastante diferente das outras :)

    ResponderEliminar
  12. os emblemas só são uteis para distinguir as capas no meio do monte.

    ResponderEliminar
  13. também pensei deixar a minha capa virgem de emblemas... mas pronto já lá tenho umas filas... mas para mim o verdadeiro sentido não está em exibi-los... para mim o que tem mais significado são os nós e rasgões das minhas melhores amigas e namorado que a minha capa tem...:)

    ResponderEliminar
  14. Eu não podia deixar passar este post sem deixar a minha contribuição.
    Sabes bem qual é a minha opinião em relação ao traje e mais especificamente em relação à capa.
    O traje deve ser a segunda pele de um estudante e na pele ninguém cose emblemas ou faz rasgões.
    Se alguém quer recordar a vida acadêmica da melhor forma, o que deve fazer é usar o seu traje e a sua capa e depois todas as recordações vão estar sempre presentes na capa quando a usemos e quando um dia mais tarde olharmos para ela e nos lembremos de tudo o que vivemos.
    Não digo com isto que os emblemas sejam algo inútil ou algo semelhante. Felizmente tenho muitos emblemas com bastante significado e não é por eles não estarem na capa que o significa diminui. Vão sempre guardados num lugarzinho especial no meu traje.

    Acima de tudo, o mais importante não é ter uma capa cheia de emblemas mas uma capa cheia de recordações e vivências.

    ResponderEliminar
  15. a minha é como a da Shell! tem alguns! mas sinceramente... tinham que la estar! porque sao o meu percurso! mas nao tenho nada do genero "amor de pais"!

    ResponderEliminar
  16. concordo completamente com o comentário da/do R. aí em cima. eu sou capa negra de Coimbra com imenso orgulho, mas a minha capa reflecte todo o meu percurso académico. tem as insígnias que deve ter (é o nome correcto para emblemas), tem os rasgos que deve ter... e eu olho para lá e revejo-me, acho que é o mais importante =)

    ResponderEliminar

Não resisto às novidades do Mundo Lá Fora. Contem-me tudo, tudinho!