terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Oops I did it again

Sabem aqueles momentos em que sentimos que uma relação que estava no ponto cai subitamente apenas em ponto bolota? Aconteceu ontem.

Aconteceu ontem quando eu estava num estado de humor perfeito.

Aconteceu no meio de brincadeiras a propósito da minha agressividade e rispidez de movimentos,  e da "capa" dos caranguejos que nunca mostram tudo o que são.

Aconteceu, claro, quando se dançava e a determinada altura começo a sentir que um rosto que previa direito começa a inclinar em trajecto pecaminoso e... bucla, desvio imediatamente e pouso ali no ombro esquerdo.

Poucos segundos depois fiquei, e estou, em negação. Desviei a cabeça para o sítio certo e fiquei a interiorizar que tinha sido tuuuuudo impressão minha. Continuei com as brincadeiras como quem diz, caraças, bolas, estragar isto agora não e ele foi alinhando. O ambiente recompôs-se mas com aquela sensação de que, naquele momento, se construiu ali um muro intransponível onde até então só existiam pontes, montes de pontes em campos verdejantes.

Neste momento uma parte de mim diz that totally happened, outra continua a insistir foi só impressão tua, ia ser só um beijo fofo na bochecha. Talvez aqui eu seja a complicada, mas, carago, esta é a história do último ano - quando a coisa parece estar a tornar-se fixe, inquina. Ou eu sou demasiado lenta, ou os homens são precipitados.

E depois lembro-me das vezes em que eu pedi um homem que dançasse Be careful what you wish for... you just might get it e lembrei-me, mais uma vez, que a vida, essa tal entidade externa que tantas vezes tratamos como um ser animado por conveniência, e que por isso é tão fácil de insultar, às vezes nos eslapeia na cara e recorda que, eventualmente, muitas vezes não sabemos verdadeiramente o que estamos a pedir.

E cenas, sabem?... Começo a acreditar em quem um dia me disse que um homem e uma mulher não podem ser amigos: um homem e uma mulher muito amigos vai eventualmente dar para o torto. Tentei muitas vezes - porque continuo a achar que uma amizade a sério com um gajo é altamente - sem conseguir final diferente.

22 comentários:

  1. Claire,
    e que tal repetires o comentário? Antes umas pancadinhas no ombro e um "é possível, um dia vais ver, já aconteceu comigo!" ;)

    ResponderEliminar
  2. E a amizade e possivel. Mas, como escreveu alguem, para que entre um hmem e uma mulher possa existir amizade e necessario uma incompatibilidade fisica.

    Desculpa o comentario sem acentos mas o computador ca de casa continua mais maluco que a dona.

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. é possível. eu tenho amigos, que são grandes amigos, e nem os consigo imaginar como sendo outra coisa qualquer. e se eles imaginam mete-se logo um entrave quando as coisas estão a descambar...

    ResponderEliminar
  4. Lembre-se da frase: Nada acontece por acaso.... bjs amei seu blog!

    ResponderEliminar
  5. Pois eu acho que devias ter deixado o beijo acontecer. Assim fazias "blharc" com um tom de nojo à frente dele e acabava-se a historia....lol

    ResponderEliminar
  6. para a próxima deixa acontecer... naturalmente :)

    ResponderEliminar
  7. Olha eu estou contigo, ter amizades masculinas é bem melhor do que femininas, mas as vezes é difícil. dá tempo ao tempo.. espera pelos próximos episódios. mas um beijo não é assim nada de grave

    ResponderEliminar
  8. Amizades masculinas são óptimas... é preciso é saber lidar com a coisa :)

    ResponderEliminar
  9. E não te arrependes? Não queres tentar recriar o momento e derrubar o muro intransponível que criaste, dando tu o primeiro passo? Não achas que, ás vezes, as coisas acontecem mesmo por um motivo determinado...? É que eu acredito que um homem e uma mulher podem ser real e simplesmente amigos e, assim sendo, acho que não foi por acaso que isso te aconteceu!

    ResponderEliminar
  10. NI,
    gostei da teoria, afinal por muito que a pessoa diga que não a compatibilidade física faz diferença!

    pastora,
    vês como tu sabes, é tudo muito possível até chegarmos aos entraves

    Bia,
    quer isso dizer o quê? Que é o meu destino e que me devo lançar já de cabeça? :)

    Jedi,
    tresloucado mor. Still, the best solution.

    Hermione,
    "nosso caso vai eternizar?"

    Gaja Maria,
    http://www.youtube.com/watch?v=AY62QByUYJQ

    aNaMartins,
    pois não, mas neste caso para mim não seria nada. E ainda para mais vindo de uma pessoa com quem estou escaldada. Há pessoas para quem um beijo é um "quero ficar contigo a vida inteira"

    Palavra Já Perdida,
    o problema é deles :P Misturam tudo raio dos homens.

    ResponderEliminar
  11. Sara*,
    creeedo, parem que ainda faço asneiras amanhã depois de tanto empurrão :P É que uma pessoa até diz não ser influenciável, mas não é de ferro. Quando se dança há muita química, mas no dia-a-dia só um "so what?" e não há qualquer vontade de ir mais além.

    ResponderEliminar
  12. Sara *(again),
    gosto sempre (MUITO) de te rever por cá!

    ResponderEliminar
  13. Hahaha! Ok! ;) De certeza que quando chegar o momento de avançares para algo mais (com quem quer que seja) vais sabê-lo e aí ninguém te vai conseguir influenciar!
    Oh, obrigada! eu adoro o teu blog por isso vais ter de me continuar a aturar por aqui...

    ResponderEliminar
  14. Eu e o meu melhor amigo... esquece... não te ia ajudar nada! :D

    ResponderEliminar
  15. A amizade é possivel sim, mas só depois!
    O fogo tantas vezes chega à estopa...

    ResponderEliminar
  16. Su,
    contavas na mesma :P

    O Sexo e a Idade,
    vamos crer que sim :) Não quero perder mais amigos.

    ResponderEliminar
  17. Tinhas de deixar-te ir, até podias ter gostado do beijo e depois era tudo, mundos cor de rosa...

    ehehehehe

    Kiss**

    P.S.- Acho que um beijo é umna coisa intíma, deve ser dado a quem se gosta...**

    ResponderEliminar
  18. Pensa menos, manda tudo para o tecto e faz o que te apetece :)

    ResponderEliminar
  19. Pestinha,
    o teu comentário foi meio ambivalente e há histórias que não vale a pena sequer começar :)

    PM,
    fiz o que me apeteceu. E neste caso não mandei tudo para o tecto, mas fazê-lo olhar para o tecto fez parte dos planos.

    ResponderEliminar
  20. Do dele de certeza que não fazia :P

    ResponderEliminar

Não resisto às novidades do Mundo Lá Fora. Contem-me tudo, tudinho!