domingo, 24 de fevereiro de 2013

Ela, a misteriosa...

Ela às vezes acha que a felicidade é uma fotografia que se encaixa numa moldura, sem espaço para acertos e justamente assim: ou é aquilo ou não é. 

Ela é a tal que também diz que a felicidade se constrói. Irónico, não é? Sobretudo se se considerar que se a felicidadezinha - "inha" assim pequenina - que parece sentir não encaixa na moldura pré-concebida, então não vê hipótese de construção e perspetiva tudo como mais um problema de encaixe. Deve acreditar mais na felicidade ao estilo pré-construído, com um plano já traçado, do que naquela felicidade que verdadeiramente se constrói, do nada, sem ela ter a certeza de quais são as peças subsequentes ou eliminando algumas que acharia que fariam parte... Se calhar ela acha que pode construir a felicidade em blocos como se de montar legos se tratasse. Se calhar ela às vezes não deixa que a aleatoriedade aconteça e prefere evitar a hipótese de alguns infortúnios, dores de barriga, infelicidade, dramas vários, sei lá, do que abandonar as mãos de formarem defesas e deixar que a felicidade aconteça.

Ela. É ela e não eu, como é claro.

2 comentários:

  1. diz a essa menina que a felicidade não se pode encaixar. a felicidade são sim pequenos blocos, também chamados momentos, ou gestos, ou pessoas. a felicidade nem sempre vem de planos; a maior parte das vezes, pelo contrário, é não planeada. diz à menina para ser feliz :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ela manda dizer que gostou muito do teu comentário!

      Eliminar

Não resisto às novidades do Mundo Lá Fora. Contem-me tudo, tudinho!