terça-feira, 10 de dezembro de 2013

A menarca - conclusão

Um dia fui à casa de banho e descobri umas pequenas manchas inusitadas. Estava eu em casa da minha avó a fazer coisas de adolescente, o que na altura era equivalente a ligar a MTV, enquanto estudava e pensava no meu amor platónico. Olhei para aquilo estranho e fingi que não vi. Era pouco. Ignorei que achava que era o período.

Tudo tranquilo até que à noite o meu sono foi interrompido por umas dores de barriga monstruosas. Que coisa horrível. Que era aquilo? Não dava para aguentar. A minha mãe apercebeu-se das minhas andanças pela cozinha em horas pouco usuais e perguntou-me o que se passava. Deu-me um comprimido que me ajudou a conseguir dormir finalmente descansada até à manhã seguinte. Não me lembro, mas se calhar até rezei para que não fosse o período. Felizmente era sábado. Pude compensar as horas de sono perdidas. 

De manhã fui à casa de banho descontraídamente, já sem me lembrar do incidente nocturno, mas... já não era uma manchinha, era uma machona! Quis muito a minha mãe. Estas coisas falam-se com as mães, mas só via o meu pai em casa. Desorientada e sem saber o que fazer peguei num catálogo de roupa e decidi reter-me em cativeiro na cama até que a minha mãe chegasse. Pensei que poderia passar despercebia, mas o meu pai reparou e veio perguntar:

"Então Mary, o que é que se passa? Problems?". Entre lágrimas lá lhe confessei que me tinha vindo o período. Depois de me confortar ele ligou para a minha mãe para trazer pensos ou o que fosse preciso. A minha mãe chegou, disse que na noite anterior já desconfiou que fosse isso, e trouxe uma parafernália de pensos diferentes para eu experimentar, confortou-me que não tinha de os usar sempre e que geralmente dores de barriga sinalizariam quando teria de usar a próxima vez.

Mais tarde nesse dia o meu pai chamou-me "menstra" e deu-me uma mochila. Recompensa pela "menstra". Eu já me comecei a conseguir rir do meu "grande mal". Agora o meu pai está com aquela doença começada por c. e cujo nome me começa a custar pronunciar de tão pesado e seguido que tem sido o fardo na minha família. E está completamente em baixo. Quem me dera encontrar um nome que o fizesse arrebitar e um brinde que afastasse toda a dor dele. Que afastasse também a minha, a nossa que é muito maior do que devia.

17 comentários:

  1. Mary Jane, n sei o que dizer para confortar o teu coração. Apenas desejar que tenhas muita força, tu e toda a tua família, que sejam unidos e consigam transmitir essa força ao teu pai. Desejo do fundo do coração que tudo corra pelo melhor e que este pesadelo passe rápido. Um beijinho, força.

    ResponderEliminar
  2. Grande família, grande cumplicidade. Desejo-te toda a força, que juntos consigam ultrapassar essa adversidade...

    ResponderEliminar
  3. Beijinhos para o teu papi.

    ResponderEliminar
  4. Boa sorte e muita força. Vocês hão-de descobrir a melhor forma de se animarem uns aos outros :)

    ResponderEliminar
  5. Sei exactamente aquilo por que estás a passar. Infelizmente. Não a parte do período, mas a parte do teu pai. Há três anos, numa antevéspera de Ano Novo o meu telefone tocou às nove da manhã e a minha mãe deu-me exactamente a mesma notícia! Felizmente no caso do meu pai a coisa resolveu-se a contento e hoje já só nos lembramos desse tema porque volta que não vira há consultas para ir. Simplesmente de rotina. Espero do fundo do coração que no caso do teu pai se vá passar a mesma coisa.

    De mim, podes sempre esperar muita força neste momento complicado. Por isso, sempre que precisares, podes mandar um email. Já sabes para onde, por isso não te acanhes! E se quiseres falar apenas e só de parvoíce, também o podes fazer! Eu sou mais parvo que tu :p

    Um beijo grande

    ResponderEliminar
  6. Um beijo grande, um abraço de urso e muita força!!!

    ResponderEliminar
  7. desejo que não se deixem abater por essa sombra que se instalou na família. beijinhos e toda a força que possam transmitir uns aos outros é muito importante para todos. beijinhos.

    ResponderEliminar
  8. Muita força para vocês***

    Um grande beijinho

    http://agirlsdream-blog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. Respostas
    1. Da minha parte, agradeço a confiança que depositaste em mim quando escreveste este post. Eu, na altura, não o consegui fazer...

      Eliminar
  10. Li o teu texto com um sorriso nos lábios... e depois terminei com o coração apertadinho... envio daqui um xi apertado e muita força. beijinho!

    ResponderEliminar
  11. Nem consigo imaginar o que deves estar a passar... Mas pensa que tens de estar lá para ele como ele sempre esteve lá para ti, mesmo durante a tua menarca (algo que sempre deixa os homens desconfortáveis). E olha agarra-te à força que eu vejo em ti, mesmo sem te conhecer, e transmite-a ao teu pai, que bem precisa dela para dar uma coça a essa palavra começada por c. e para conseguir, mais uma vez, arranjar ele próprio uma palavra que a substitua "arrebitando" toda a gente!

    Beijinho e um abraço bem apertadinho.

    ResponderEliminar
  12. Muita força! Estou a torcer por vocês...! Beijinhos.

    ResponderEliminar
  13. não quero entrar por grandes discursos, até porque este não é o lugar ideal para tal. Fica só o lembrete de que isto dos blogs e das amizades é sempre bilateral, connosco pelo menos :) E eu estou aqui para ti, tal como já estiveste disponível para mim tantas e tantas vezes. Um beijinho enorme e muita força. Estou a torcer pelo melhor! <3

    ResponderEliminar

Não resisto às novidades do Mundo Lá Fora. Contem-me tudo, tudinho!