domingo, 26 de setembro de 2010

Desta vez, falo da arte de revolucionar vidas

A letra desta música (aqui direcciono-vos para uma cover de que também gosto muito) é terrivelmente inspiradora para mim. Se por um lado é triste, por outro dá-me vontade de revolucionar vidas e por isso vai ser sem dúvida uma música para ouvir vezes sem conta durante o meu ano de estágio. Isto quando tiver pela frente pessoas com uma história de vida semelhante para contar (tão dura que me faça desejar que seja apenas a letra de uma canção) ou, simplesmente, para que eu que ainda me sinto pequenina, muito menina e pouco doutora me possa sentir capaz de despir vidas, acreditando sempre que quem não tem nada, também não tem nada a perder e que recomeçar do 0 pode ser uma experiência altamente estimulante se agarrarmos bem o volante e se não deixarmos que nos conduzam a nós sem saber para onde vamos.



You got a fast car
I want a ticket to anywhere
Maybe we can make a deal
Maybe together we can get somewhere
Any place is better
Starting from zero got nothing to lose
Maybe we'll make something

Me myself I got nothing to prove

You see my old man's got a problem
He live with the bottle that's the way it is
He says his body's too old for working
I say his body's too young to look like his
My mama went off and left him
She wanted more from life than what he could give
I said somebody's got to take care of him

(...)

You got a fast car
And I got a job that pays all our bills
You stay out drinking late at the bar
See more of your friends than you do your kids
I'd always hoped for better
Thought maybe together you and me would find it
I got no plans I ain't going nowhere
So take your fast car and keep on driving

4 comentários:

  1. Grande poste!
    Se continuares assim, com um certo nível de modéstia, serás certamente uma grande profissional!

    ResponderEliminar
  2. Adoro a música, adorei o post, e tenho a certeza que vais revolucionar muitas vidas. Senhora doutora :)

    ResponderEliminar
  3. O que eu não dava para poder começar do zero!

    ResponderEliminar

Não resisto às novidades do Mundo Lá Fora. Contem-me tudo, tudinho!