segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Querido belógue... (XXXIX)

Eu sei que são altas horas da noite e que ninguém vai andar a ler inquietações ou confissões profundas agora, mas fica para quando acordarem. Tirei um curso que, quando nele ingressei, achava que até era uma coisa séria, afinal a nota do último colocado no ano anterior tinha sido 17. É que era quase medicina e não uma esmola qualquer, conjecturava eu nos meus 18 anos, sem qualquer vontade de mexer em seringas (quando me queriam empurrar para medicina) ou esmiuçar códigos sem graça (depois do mal do curso de humanidades estar escolhido, escolhe, pois, direito). Hoje com o curso já na mão percebo que os números não interessam para nada e se a escola da vida ou o raio da minha personalidade curiosa e com necessidade de desafio constante não me tivesse levado, ao longo do meu percurso, a realizar um mestrado  intensivo em fazer variadíssimas coisisses com os recursos que tens, neste momento estava eu a pedir esmola. Fique escrito para quem ainda anda nestas vidas universitárias: hoje não se compram diplomas, compra-se produto. Produto bem feito e que venda.

15 comentários:

  1. Isso de "comprar produto" é um bocado ilícito.

    Produto bem feito e que venda é uma alusão à prostituição? :p

    ResponderEliminar
  2. Completamente! E os números não contam para absolutamente nada...

    ResponderEliminar
  3. Manuel,

    Produto é um substantivo masculino aplicável a uma grande diversidade de materiais. Mas para quem procure um produto específico, rectifico já que não sou dealer.

    Quanto ao segundo produto que a tua associação mental te fez produzir garanto que neste estabelecimento até se podem fazer alusões à prostituição, mas desta vez não era intenção. Se assim o leste, tu é que sabes o que procuras :P

    Pam,
    ena, tanta gente acordada! Por acaso os números neste momento conta para dizer que há gente a mais formada em quase tudo. Cabe especializar e inovar :)

    ResponderEliminar
  4. Pois tens razão... tenho tanto medo do meu futuro e depois sou uma pobre ingénua que acredita que com o tempo tudo vai melhorar e quando terminar o meu percurso escolar isto estará melhor... eu realmente sonho, mas cada vez mais se prova que não será assim e que vou cair com o nariz no chão...

    ResponderEliminar
  5. Manuel,
    mas que é esse smile? Hum, hum? Sou às vezes, não sou sempre :P

    ResponderEliminar
  6. hoje em dia as médias não contam lá grande coisa. podes ser muito bom ou então podes ser uma merda mas ter uma boa cunha e pronto. tens emprego.
    quanto às especializações, quantas mais melhores, é sempre bom inovar e não ficar preso só a alguma área especifica.
    beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Marta,
    é isso. E as especializações não são necessariamente pós-graduações ou coisinhas semelhantes, é mesmo investir nas outras coisinhas para as quais vais tendo jeito. Por exemplo, sabes tocar guitarra? Aprende lá mais uns acordes que te pode ajudar!

    pedro b,
    txiii, que tipo de serviços prestas?

    ResponderEliminar
  8. D. Pereira,
    mas como é que o teu comentário só me apareceu agora? Mas uma coisa te digo, este futuro, seja lá o que ele for, não é para ter medo, é para arregaçar as mangas! Acho que talvez o tempo ou coisas abstractas não façam milagres, mas nós temos que estar preparados para os tentar fazer, sempre. Se fizeres assim não há nariz no chão!

    ResponderEliminar
  9. Ricardo,
    :) Se não me safar vê lá se tu com tais palavras de encorajamento me safas!

    ResponderEliminar
  10. O pior é que se vende muito produto adulterado, Mary

    ResponderEliminar
  11. Ai Vic, assim espantas quem possa estar a pensar adquirir aqui este produto! Cá é tudo muy bueno.

    ResponderEliminar

Não resisto às novidades do Mundo Lá Fora. Contem-me tudo, tudinho!