segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

A minha primeira operação stop

Quando vou na viatura, sozinha, a avançadas horas da noite, geralmente não me olvido de formular mentalmente o pedido de não aparecer nenhuma brigada de trânsito pelo caminho que me mande parar. Tudo porque o simples facto de parar em frente a um agente de autoridade, que poderia julgar a minha (in)aptidão ao volante, dava-me a sensação de que poderia subitamente e repentinamente esquecer tudo: desde como se encosta a um carro até como se desliga um carro.

Ora, na sexta feira à noite lá estava uma farda azul e um coletinho amarelo e um indivíduo a esbracejar. Mantive-me serena. Se tivesse antecipado o momento tinha certamente panicado, mas assim tendo que encostar sem tempo para grandes reflexões lá fiz eu uma paragem em câmara muito lenta, desliguei delicadamente o veículo, fiz o ar mais sereno e impávido que consegui e abri o vidro:

- Muito boa noite, menina.
- Boa noite.
- Ahahah (saca da caçadeira) é carnaval, menina, ninguém leva a mal! 
- (Sorriso amarelo e começo a fechar o vidro)
- Não quer entrar? Tem Karaoke!

25 comentários:

  1. Ahahah! Eu não achava piada nenhuma que me fizessem isso, nem acho correto que o façam, mas tenho que admitir que foi original xD

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi e eu ainda reagi com muito desportivismo. Mas depois também pensei que pode ser uma boa forma de fazer coisas terríveis e fiquei a pensar na forma fácil como me fiz ao piso.

      Eliminar
  2. Não era um policia a sério então... eu acho que lhe tinha chamado de parvo :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Perder tempo a chamar parvo é dar demasiada confiança!

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Eu já percebi é que tu és da secção dos disparates e só gostas de disparates!

      Eliminar
  4. Ui tiveste que segurar o "espanhol" não?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alguém que me auxilie aqui... O que é isto de segurar o espanhol?

      Eliminar
  5. eu panicava só de pensar que me queriam parar. Depois de ver que era a brincar acho que fervia um bocadinho. Mas a verdade é que, estando de fora, até tem piada :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois, eu também pintava a situação mais ou menos assim :P

      Eliminar
  6. eu apanhava um cagaço... isso é horrível

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sim, sim... Depois eu fiquei a refletir sobre o perigo da situação!

      Eliminar
  7. Eu acho que lhe dava um estalo valente...enfim!

    ResponderEliminar
  8. Se não era mesmo policia, podias atropelá-lo.
    Afinal, é Carnaval e....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Txiii, a perspectiva mais agressiva, mas tão bem humorada :)

      Eliminar
  9. às vezes, são essas situações que despoletam episódios mais perigosos, como por exemplo o tão falado carjacking. eu acho que nem parava. não tem piada nenhuma.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se eu me tivesse apercebido que era falso garanto que também não parava.

      Eliminar
  10. Ia tendo um ataque na minha primeira operação STOP, graças ao meu irmão mais velho que resolveu pregar-me um susto do caraças.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ele é da Brigada e viu-me passar, reconhecendo o carro, que até era dele. Então, como estava de serviço, resolveu deixar-me lívida. Nesse dia ia para Mafra, porque ia dar aulas, foram 2h30 de caminho a tremer toda. Ainda por cima, o não-sei-quê ainda liga à minha a rir-se que nem um perdido por causa da cara de pânico que eu fiz quando ele me mandou parar.

      Eliminar
  11. AAAAAAAAAAAAAAAHAHAHAH tinha karaoke mulheri!!! tu ias!!! xD

    ResponderEliminar

Não resisto às novidades do Mundo Lá Fora. Contem-me tudo, tudinho!