terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Há um indivíduo, o A., que devia ser condecorado

A melhor instrutor pelo qual passei desde a escola de condução. Não teme sentar-se ao meu lado e ver-me a avançar na estrada. Ou se teme, pelo menos finge bem. E como não se deixa envolver pelos meus estados de adrenalina algo exacerbados para a actividade em questão segue como se nada se passasse. Nisto, este fim-de-semana permitiu-me sair em exploração de trajectos desconhecidos e investir em sítios que jamais pisei sozinha, em vez de ficar presa aos habituais. Diria que é inclusivé melhor do que o meu instrutor da escola que me dizia tuuuudo, desde quase o ângulo com que devia virar o volante, às mudanças que devia pôr, aos momentos em que devia aumentar e reduzir a velocidade ou avançar ou parar antes de entrar numa rotunda. Enfim, foi óptimo. Só foi chato quando de carta na mão perdi o co-piloto que me controlava tão bem do lado de lá.

Agora este espécime que dedicou algum do seu tempo para eu poder investir em algumas coisinhas que ainda me faltam para ser uma brilhante (cof! cof!) condutora não me diz por dá cá aquela palha o que fazer, a menos que eu pergunte com ar de quem está no topo de um precipício "O que é que eu faço agora?!". E mesmo nessas situações espera que seja eu a avançar com uma resposta que ele se limita a infirmar ou a confirmar. O bónus é que tolera tudo desde os "Ai não seiii, nunca vim por aqui", "Estou um bocado perdida!", "Eu estou cheia de sono, não devia ir a conduzir!", "Não me toques que eu estou em tensão!", às músicas trauteados num volume algo exacerbado.

Por isso eu acho que vou propôr a condecoração do rapaz. Sugerir-lhe eventualmente que mude de ramo. Tem um dom e uma paciência distintos. Não é como o meu pai que de olhar gélido de pânico me lança um:

"MAS TU VISTE O QUE ACABASTE DE FAZER?!"

Tem outra suavidade:

"Olha, o que tu fizeste ali é um perigo. Reparaste?" e primeiro espera que eu chegue lá. Se eu não chegar explica devagarinho porquê.

14 comentários:

  1. Acho que vou precisar de um assim ahahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando temos oportunidade de fazer incursões de ensaio com alguém paciente ao lado é tão bom!

      Eliminar
  2. Já tens sorte, se fosses com a minha mãe ouvias umas caralhadas pelo meio. ahahah

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Com o meu pai ouço essas e outras variações ainda mais hardcore, mas cá no blog reservo-me para não pensarem que o meu pai é um brutalhão que até é um senhor com muita postura :D

      Eliminar
  3. Ainda há pessoas muito tolerantes neste mundo....

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sugeres que sou um ser muito difícil de tolerar?

      Eliminar
  4. Ai eu adoro conduzir e odeio co-pilotos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu odeio pessoas que querem ser co-pilotos sem talento, sobretudo.

      Eliminar
  5. Se ele é assim tão bom, contrata-o a full time. loool

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Suponho que ainda não tenho recursos e capacidade suficientes para fazer com que ele abdique de tudo o resto :P

      Eliminar
  6. Respostas
    1. Eu dou-te o connect, rapaz! Isso quereres têm de ser resolvidos ;)

      Eliminar
  7. Um instrutor desses é uma preciosidade, conserva-o:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. :) Pois é, de borla, com tempo e sem pressas é mesmo produto escasso!

      Eliminar

Não resisto às novidades do Mundo Lá Fora. Contem-me tudo, tudinho!